12/06/2006

Sharm El Sheikh: um paraíso escondido no Egito



Quando conto um pouco da minha experiência no Egito, sempre vem a pergunta se eu gostei (ou se eu gostaria de voltar pra lá ) e nessa hora só me passa um lugar na cabeça: Sharm El Sheikh!



Sair da loucura do Cairo e em 40 minutos de vôo ( só cruzar o monte Sinai ) pousar num balneário tranqüilo, com hotéis super charmosos, resorts paradisíacos, no meio de um deserto se misturando com um mar de uma beleza nunca antes vista aos meus olhos...parecia um sonho.

Não sei se o marrom do deserto destacava ainda mais o azul do mar, mas posso garantir que o contraste era algo indescritível. E diga-se de passagem: conhecer o famoso mar vermelho foi demais.


Chegamos no nosso resort sem a menor idéia do que viria pela frente. Fizemos o check in e fomos dar uma banda de reconhecimento do local e tomar uma cervejinha. Conforme as surpresas agradáveis vinham chegando aos olhos, foi dando uma vontade enorme de ficar mais por ali, curtir aquela paz, aquele marzão, ficar na piscina de bobeira, mas tínhamos apenas duas noites no paraíso. Bem que tentamos trocar as passagens, mas era exorbitante o valor.


Não perdemos tempo: relaxamos e ficamos só curtindo a praia, tomando o famoso suco de manga deles e descansando, afinal não tinha ninguém querendo nos vender nada. Que lucro e que sossego!


A noite pegamos o transfer do resort e fomos até o “La Shokran”, o centrinho comercial cheio de lojinhas bem lindas e com artesanatos ainda mais interessantes que no Cairo.

Próximo das lojas, era grande a variedade de cafés bem no estilo beduíno, tudo de bom gosto, com narquiles espalhadas por todo o canto. Um charme pra nenhum turista europeu botar defeito. E como tinha europeu por lá.

Claro, pense bem: em poucas horas de vôo eles tem acesso a um paraíso como esse, com o euro valendo quase oito vezes mais que a libra egípcia, comidinha boa, hotéis divinos, e imperdível pra quem ama a prática do mergulho. Quem não vai gostar?


Aliás, agora cheguei num ponto crucial de Sharm El Sheikh. Sua riqueza está bem escondidinha e dentro do mar! As águas da península do Sinai são cristalinas com vida das mais variadas cores e recifes coralíneos a perder de vista.

Por falta de tempo, não pudemos fazer o mergulho tradicional, então, ficamos só de máscara e snorkel observando a quantidade e a variedade de peixes. Uma maravilha!


No dia seguinte, depois de dormir como marajás, acordamos com um dia lindo lá fora, tomamos um café da manhã digno de um faraó e ficamos só curtindo a vida mansa e tomando mais suco de manga e mergulhando mais um pouquinho com os peixinhos (vi vários “nemos” bem na minha frente).

Dessa vez levamos uns pedacinhos de pão só pra ver o que iria acontecer! Adivinha? um cardume enorme se formou em volta da gente!


Almoçamos no próprio hotel, num restaurante italiano maravilhoso e depois a noite voltamos pro centrinho pra nosso jantar de despedida do paraíso.

Sharm El Sheikh foi um lugar que me deixou com muita, mais muita vontade de voltar.

Um comentário:

  1. Parabens pelo blog! dicas maravilhosas, um trabalho profissional, encantada!

    ResponderExcluir

se quiser mais informações, por favor mande um email para
vidaeumaviagem@gmail.com
obrigada