08/05/2010

Coliseu, Pantheon e Vaticano





Ciao Buona Gente, finalmente chegamos em Roma.

Dia de aeroporto na minha cabeca pode ser chamado de “dia perdido” mas que faz parte do pacote de um roteiro de viagem. Digo "perdido" porque ficamos na função de entregar carro no aeroporto, fazer check-in para Roma (voamos de Easyjet), esperar, voar, aterrissar, se familiarizar com o novo país, pegar shuttle até o centro da cidade e  sim buscar um ônibus a o hotel. E tudo isso carregando malas. Só de escrever e relembrar já fiquei cansada.



Nosso hotel chama-se Eurostar Congresso, é bacana, confortável mas fica longe do centro de Roma. Pra ter uma idéia, precisamos pegar um ônibus e depois um metrô até o centro histórico.
Isso leva uns 30 minutos. Um tanto inconveniente, mas agora já não dá para mudar o plano.

Quando pesquisei o hotel e fiz a reserva, eles disponibilizavam de um translado de ônibus a o centro da cidade eterna. Quando fiz o check in, perguntei para a recepcionista sobre o serviço e ela me contou que não faziam mais...por isso não aconselho ficar nesse hotel. Não vale a pena. 

Depois do descanso dessa batalha toda até se instalar em Roma, pegamos nosso transporte público até o centro e decidimos passear no doble-deck vermelho pra facilitar o reconhecimento do local e começamos pela Estação Termini, a principal e mais centralizada de Roma. É de lá que saem os trens, expressos e metrôs para todos os lados do país.


De lá, seguimos a o Piazza Venezia e logo em seguida Coliseu. Nesse momento entre a praça e o colossal, uma emoção foi tomando conta de mim e eu não sei como explicar, eu a tento, mas as palavras parecem não ser o suficiente. 




Continuamos a peregrinação: Fontana de Trevi, Pantheon, cada um com suas histórias milenares, diga-se de passagem. O Pantheon foi construído em 27 AC. 





Dois símbolos fortes em Roma e que é possível encontrar em quase todos os cantos é a imagem de Rômulo e Remo mamando na loba e as vespas. Nunca vi tanta Piaggio na minha vida.

Nas ruelas no centro histórico se via um mar de vespas. Eu que sou fã e que a já tive uma pretinha, me divirto olhando os inúmeros modelos e cores. A febre é tanta que a posto de gasolina destinada as charmosas você encontra.


Roma é poderosa e te deixa de boca aberta. Por falar em boca, estamos aqui tentando achar algo diferente para mangiare, mas a agora nada nos surpreendeu como os bacalhaus de Portugal. 


Voltando a realidade, almoçamos uma pasta al dente bacaninha, um expresso boníssimo e seguimos a o Vaticano porque tínhamos ingressos comprados para um tour às sete da noite.


Essa é uma boa novidade para quem está com planos de visitar o Vaticano. Desde o ano passado, eles disponibilizaram via internet a venda de entradas para todo o museu (incluindo a Capela Sistina). 

Assim você pode se livrar de uma fila considerável, que dependendo da época, fica gigantesca. A foto abaixo é da  lindíssima escadaria no final do museu do Vaticano...




A experiência com os tickets nas mãos foi maravilhosa porque escolhemos um horário quase "final do expediente" e não tinha mais tanto turista pela redondeza. A Capela Sistina é algo indescritível. A imponência do Vaticano deixa os visitantes com fortes expressões faciais. Tivemos a sorte de assistir um pouquinho de uma missa às seis da tarde.




Emocionante ouvir os cantos ecoando por aquelas paredes com tantas histórias pra contar. Vi muitos turistas chorando por ali perto. 





Descrever sobre Roma é a perigoso porque acabamos usando palavras no superlativo. Tudo é grande, emocionante, contagiante e cheio de turistas! A quantidade de turistas pelas ruas de Roma é algo quase assustador: muita gente, por todos os lados falando todas as línguas. Uma verdadeira Torre de Babel!

Roma é barulhenta, cheia de vida, única e sim, sou apaixonada por essa cidade.

Um comentário:

  1. Amei seu post, as fotos... Tudo muito bacana!
    Aproveitem!
    Beijao,

    ResponderExcluir

se quiser mais informações, por favor mande um email para
vidaeumaviagem@gmail.com
obrigada