22/02/2011

Sawadee Bangkok!

Já se passaram três dias de viagem e continuo absorvendo e tentando entender tudo que passa em frente aos meus olhos nessa cidade tão mágica. São várias emoções e sensações muito diferentes das minhas usuais e ontem conversando um pouquinho com o Dani sobre a vida, sentados na beira do Chao Phraya river comentei que não seria fácil escrever aqui no blog sobre essas novas experiências. Mas adianto que Bangkok é uma cidade que precisa ser desvendada aos poucos e uma só viagem não é o suficiente.


Desses dias de andanças por aqui, gostaria de dividir três passeios imperdíveis:


Grand Palace – É quase uma mini cidade murada construída em 1782 e que serviu de residência para os reis da Tailândia no século XVIII. Mas meu objetivo aqui não é falar sobre a história do lugar e sim de algumas impressões. Logo que você entra nos jardins do Grand Palace e começa a ver as cores, as formas arquitetônicas, os mínimos detalhes nas esculturas, as paredes desenhadas, os telhados coloridos, a suntuosidade do local, tudo isso ainda mais misturado com o lado espiritual do povo tailandês vai te dando uma anestesiada, voce fica ali quietinho tentando absorver tanta Informação. Segue foto de uma das partes do Gran Palace...





Na entrada do templo, fiquei um bom tempo parada, observando os fiéis com seus pequenos gestos, bem singelos, venerando e cultuando a imagem de Buda. Eles chegavam com seus incensos, uma flor de lótus e um pedacinho de papel dourado. Com o incenso eles acendiam em uma chama de fogo bonita que ficava ao lado da imagem do Buda e deixavam queimar em um grande pote cheio de areia. A flor eles molhavam em um lindo balde de metal dourado e passavam na cabeça. E dai me perguntei: e o papelzinho dourado? Eles chegavam bem pertinho da imagem e passavam pelo corpo do Buda até grudar. Quando batia o vento, você olhava para o Buda, ele estava flamejando com aqueles milhares de papeizinhos dourados por todo o corpo. O efeito era mágico!


Entre uma caminhada de templo para outro, dentro do Grand Palace, tivemos a sorte de acompanhar uma missa tailandesa toda cantada em mantra. Por ali fiquei mais um tempo no deleite daquela cantoria única para uma ocidental como eu! Um passeio imperdível em Bangkok!


Wat Po – mais conhecido como o Templo do buda deitado, fica a cinco minutos de caminhada a partir do Grand Palace. É uma outra maravilha de Buda! Esse douradão tem 46 metros de comprimento e é difícil fotografar de corpo inteiro o descanso do Mestre, mas Daniel realizou o feito! Adoro a feição bem relax desse Buda!




Wat Arun – Esse templo é o que há! Um espetáculo! E todo seu charme é porque ele é bem antigo, alto (você consegue subir no mais alto terraço) e fica num lugar estratégico: na beira no Chao Phraya river.

Conhecemos o templo já com a luz do dia terminando, quase sem nenhum turista. Nas torres do templo, pequenos sininhos tocam quando bate o vento. A vista de 360 graus é inesquecível.




Bangkok definitivamente é linda nos arredores do Chao Phraya river.


Depois do pôr-do-sol decidimos conhecer uma “outra Bangkok”! De carona em um tuk tuk, escolhemos o destino: o famoso bairro chamado Patong. No meio do caminho tudo começa a se transformar: buzinas, carro, carro, táxi, táxi, gente que não tem fim...começou a dar medo! Mas vamos encarar, afinal o que mais tem Bangkok pra oferecer?


Patong é famoso por ser conhecido como a “red district” de Bangkok. Você começa a andar e dali a pouco aparece na sua cara um cartaz estilo menu de restaurante:




Vocês perceberam que o cardápio é variado! E os carinhas começam a te perseguir, pegar em você e tentam de convencer que você precisa ver o tal Ping Pong show.


Na ruas, barracas de comida espalhadas por todos os lados e a tradição é sentar numa mesinha na rua pra comer. Muito comum...hum pensei...com esse calor do cão que faz aqui, será que é uma boa idéia? Sei não...


(Esqueci de comentar! Das 12:00 as 3: 30 da tarde o calor aqui é infernal mesmo. Depois melhora bastante)


Mais um pouco a frente, uma aglomeração de barraquinhas de camelôs, autênticos, desses que você com certeza já viu em algum lugar...começa te dar uma confusão mental e você se pega perguntando: estaria eu na alta temporada em Balneário Camboriu? Será que fui teletransportado para o carnaval de Guaratuba?


Realmente esse pedaço de Bangkok que também inclui Si Lom, Siam Square e Patong é pra ir uma vez pra conhecer. Eu não recomendo.


Agora o que é altamente recomendável aqui é conhecer a fundo o mundo da massagem nesse país! Haja corpo pra tanta mão! Eu e o Dani resolvemos nos dar de presente uma massagem por dia e não sei se vai dar tempo de experimentar todas as modalidades! A melhor até agora, sem dúvida, foi uma massagem no pé na escola de massagem Wat Po. No mais, olhar para a cara feliz do Dani depois de uma hora de massagem realmente não tem preço. Segue o link abaixo da escola.




Outra boa dica foi um restaurante japonês que descobrimos sem querer chamado Somboom. Foi o melhor e mais fresco frutos do mar que provamos na viagem. Segue o link abaixo.
http://www.somboonseafood.com/




Alguns preços só para ter uma idéia:


-ingresso para o Grand Palace - $ 12 ( que te dá direito a entrar também no Templo do Buda Deitado )
-ingresso para o Wat Arun - $ 2
valor do taxi/ viagem para Ayuttaya - $ 50

Nenhum comentário:

Postar um comentário

se quiser mais informações, por favor mande um email para
vidaeumaviagem@gmail.com
obrigada