21/04/2012

Praga - uma cidade que invade o mais esquecido do seu ser e não te deixa ir embora.

A capital da República Tcheca é de suspirar de tão linda! Praga é um disparo mental imediato ao passado dos livros infantis, dos incríveis contos de fadas, com castelos pontiagudos, pontes largas e enormes, estátuas renascentistas, catedrais góticas, ruelas sombrias, um cenário único em um clima bucólico, bem diferente de qualquer capital da Europa Ocidental.

Praga - foto divulgação

Em 1992, Praga entrou para a lista do Patrimônio Cultural Mundial da Unesco como uma das mais lindas capitais da Europa.

Praga - foto divulgação

O centro histórico de Praga que estende-se pelas duas margens do rio VItava é a manisfestação máxima e a mais viva da era medieval, misturada com obras arquitetônicas do período gótico (séc 14 e 15), os palácios renascentistas, mais o barroco do século 18 e o modernismo do século XX. Uma verdadeira Torre de Babel arquitetônica!



Praga é uma cidade singular, que durante sua história ergueu-se fortalezas, muralhas defensivas, que viveu um grande incêndio e continua lá firme e forte.  É incrivelmente fantástico ver o processo de crescimento urbano dessa cidade desde a Idade Média até os dias atuais.


Se você me perguntasse que cor tem Praga, eu te diria: todas as nuances entre o preto e o branco, mais o ocre pra pintar os telhados das casas e o verde para as árvores. E se fosse uma música? Sem dúvida, um concerto de Mozart.

Praga - foto divulgação

Praga tem uma melancolia no ar, onde não é difícil perceber no jeito de se portar e de se vestir dos tchecos hoje em dia. Nada é muito colorido. E tudo bem elegante. E que povo bonito.

Franz Kafka, o célebre escritor tcheco do final do século XIX, começo do século XX é quem melhor consegue traduzir esse clima sombrio da cidade em seus escritos ultra intimistas. Kafka e seu castelos imaginários me fizeram entender melhor a cidade.



Praga também é um convite à celebração do amor, aquele bem romântico, sem pressa, onde os casais caminham lentamente de mãos dadas por ruas pontes, admirando os detalhes de sua arquitetura, fazendo uma pausa para alguma bebida à base de artemisia e se perdendo novamente por suas ruelas. Um cidade perfeita para viver um grande amor.

Praga - foto divulgação


O que fazer

Praga tem um tamanho que cabe em três dias de caminhada pela cidade. Como bicicleta aqui não tem popularidade, o negócio é caminhar! Construída entre os séculos XI e XVIII, a cidade é basicamente dividida em três partes: a Cidade Velha, a Cidade Baixa e a Cidade Nova.



Nada é muito longe e as atrações são próximas uma das outras. São elas:

Castelo de Praga – Construído no século IX e localizado estrategicamente na colina de Hradcany, a primeira atração turística da cidade vale quase um dia todo de visita. O castelo de Praga está no Guiness como o maior castelo antigo do mundo. 

Praga - foto divulgação

Por aqui viveram os reis da Bohemia, Imperadores romanos, presidentes da Checoslováquia e da República Tcheca e nas suas vilas, artistas célebres como Franz Kafka, alquimistas e cineastas da época. Na verdade, parece uma mini cidade. 





Quando você compra o ingresso (por 20 dólares) você está convidado a conhecer oito lugares dentro do complexo, entre eles: um palácio, jardins, um convento, alguns museus, catedrais, a famosa vila chamada Golden Lane e por aí vai. Todos os dias ao meio-dia tem a famosa Troca da Guarda.


Tem lugar para comer e banheiros de fácil acesso. Um lugar imperdível. No verão acontece o Festival de Shakespeare no pátio do Palácio Burgrave.




Charles Bridge – Conhecida também como a Ponte de Pedra, a famosa foi construída pelo Rei Carlos IV, no século XV e decorada com mais de 30 estátuas no estilo barroco do século XVII.
A Charles Bridge faz a ligação do Castelo de Praga até a Cidade Velha.


Praga - foto divulgação

Uma das paisagens mais bonitas da cidade, a ponte já sofreu desastres como enchentes, bombardeios e já foi cenário de batalhas horrendas, onde os inimigos chegavam ao absurdo de pendurar pela ponte cabeças decepadas como decoração para fazer resistência aos inimigos. 
Em 1965,  as 30 estátuas foram substituídas por réplicas, mas as originais estão preservadas no Lapidarium do Museu Nacional da cidade. Imperdível um fim de tarde na Ponte do Carlos.



Relógio Astronômico – Conhecido também como Orloj, esse obra de arte foi instalada pela primeira vez em 1410 na Cidade Velha e é o terceiro relógio mais antigo do mundo e o único ainda em funcionamento.

Os matemáticos e astrônomos Mikulas de Kadan e Charles Jan Sindel foram os criadores do relógio que por várias vezes na história teve que ser reparado. Ainda na Segunda Guerra, os alemães apontaram fogo para a cidade, atingindo o Orloj fortemente. A máquina foi consertada depois de três anos de restauração. O mecanismo é muito complexo e dividido em três partes pra confundir ainda mais: a caminhada dos apóstolos, o relógio e o calendário.



O caminhar do relógio, misturado com os movimentos do sol, as fases lunares, com outros simbolismos celestes, mais a engrenagem dos apóstolos em cena é de deixar qualquer um confuso. Eu confesso que não entendi nada! Mas conta uma lenda que toda a vez que a cidade vai correr algum perigo, o relógio pára de funcionar.

Old Town com o relógio astronômico - foto divulgação


Museu de Franz Kafka – um das minhas experiências mais incríveis em Praga. O museu te leva fundo ao mundo desse que foi um dos maiores escritores da humanidade. A exposição é dividida em duas partes: a primeira chamada “espaço existencial” que mostra como Praga atua sobre Kafka (as profundezas da sua cidade). E a segunda parte nomeada “Topografia Imaginária”  mostra o caminho de Kafka pela cidade, a relação cheia de metáforas com suas pontes e castelos. Vale cada segundo. No final ainda tem uma instalação que é muito sombria. Uma maravilha de experiência!

exposição Franz Kafka

Museu de Tortura Medieval – Haja estômago para acompanhar os três andares com mais de 60 tipos de instrumentos medievais de tortura. Cada instrumentos é brevemente descrito e apesar de não ter cenas realistas mostrando as torturas (apenas gravuras de época ilustrativa) o passeio é meio que indigesto. Depois tem gente que não acredita na evolução da humanidade. Sorte nossa de não ter nascido naquela época.

museu da tortura - foto divulgação


Onde ficar 

Tenho dois lugares para indicar. O primeiro eu fiquei hospedada e outro descobri caminhando pela cidade em busca de um banheiro.

Moods Hotel – fica a 10 minutos caminhando da Cidade Velha é um hotel moderno e impecável. Cama maravilhosa, chuveiro dos deuses e um café da manhã dos campeões!


Nosso quarto

Lundborg Residence – o edifício fica ao lado da Charles Bridge (alguns quartos com vista para a ponte) e bem próximo do Museu do Kafka. O lugar é impecável com quartos enormes e uma localização fantástica. 

Onde comer

Restaurantes testados e aprovados em Praga:

Marina Grosseto – Inaugurado há dois anos, o restaurante flutuante de dois andares fica as marchens do rio VItava e foi a melhor vista e a melhor comida durante os três dias na cidade. Cardápio com cozinha internacional (e tcheca) com preços módicos. Experimentei o risoto ao funghi maravilhoso com entradinhas divinas.

Tri Stoleti – fica no centro de Praha 1, bem perto de Charles Bridge. A rua do restaurante é uma atração à parte de tão linda e já foi usada para cenas do filme Amadeus de Milos Forman. A cozinha é internacional e o cardápio bem variado. Tem um lindo jardim de inverno. Fui de bacalhau nesse dia. Divino!

Barracas nas feirinhas de rua – provei de tudo! Tem um queijinho na grelha inesquecível, sanduíche com salsichão, pernil rodando no rolete, batatinha frita bem fininha, e o famoso Trdelnik, uma massinha doce tcheca enrolada num pedaço grande de madeira que vai no forno a lenha.

O famoso Trdelnik

Dicas, dicas!


O tcheco (ao contrário do que li e ouvi falar) é um povo muito educado e solícito. Em quase todos os momentos que precisei de uma ajuda ou uma informação, a gentileza vinha fácil. É um povo que fala inglês na sua maioria.

Outra máxima que ouvia de Praga era de ser uma cidade barata. Bem, nesse caso fica muito relativo porque depende de onde você vive. Eu que moro em San Francisco, achei uma cidade cara.  Por exemplo, um almoço bacana aqui em San Fran para um casal saí em média 25/30 dólares. Em Praga (no mesmo nível de restaurante) quase todas as contas eram pra lá de 50 euros.

Já no Brasil, se fizermos um comparativo, a conta é de arrepiar! Acredito que para quem está acostumado com o preço no Brasil, deve achar Praga barata.

Para quem aprecia fortes emoções, pode se preparar para um encontro com a famosa bebida de Praga: a artemísia absinthum ou carinhosamente apelidada de "A fada verde" devido a sua cor quase fosforescente. Com teor alcoólico que chega a 70%, ela é basicamente feita de anis, funcho e álcool.

Uma das tantas lojas que vendem absinto

Apesar de ter origem suíça, o absinto popularizou-se na França no final do século XIX e virou ícone da Belle Epoque embalando as cabeças de muitos artistas como Edgar Degas, Van Gogh, Picasso, Edouard Manet, Arthur Rimbaud, Baudelaire, Oscar Wilde, entre tantos outros.

"O bebedor de Absinto" de Viktor Oliva - foto divulgação

"Absinto" de Edgar Degas - Foto divulgação

Por um período na história (começo do século XX) o absinto foi proibido em vários países por estar relacionado com o alcoolismo e vários problemas mentais. Hoje a bebida está liberada para o consumo em alguns países. Se for se aventurar, vá com calma e beba muita água!

Não tem nada de desagradável em Praga? Ah, tem sim e aqui vai dica: redobre a sua atenção quando for pegar um táxi. Famosos por “tentar tirar o máximo de dinheiro do turistas”, procure carros com taxímetros ou antes de começar a corrida já combine um valor a ser pago.

Só para citar como exemplo, chegamos na estação central de trem e pegamos um táxi até nosso hotel, uma corrida de 10 minutos. 

Estação de trem Hlavní Nádrazí - foto divulgação

Na hora de acertar, o taxista queria 500 coroas tchecas (equivalente a 28 dólares). Imediamente fui até o saguão do hotel e a recepcionista me alertou que a mesma corrida sai por no máximo 200 coroas tchecas. Acabou que negociamos por 140 coroas. 

Outra lado desagradável em Praga, principalmente na praça Wenceslau Braz é a “ocidentalização” massiva que tomou conta da região. Nessa parte da cidade, me lembrou qualquer calçadão do centro de cidade entupido de lojas, fast-foods e pessoas abarrotadas com sacolas de compra caminhando pela rua. Uma poluição visual impressionante. Fuja correndo porque aqui você não vai ver nada diferente.


Próximo post – A vibrante e moderna Berlim espera por você! 










2 comentários:

  1. Adorando as dicas! Vamos prestar atençao e vamos consultar os preços dos hoteis indicados. Parecem excelentes pelas fotos! lindas fotos e com o que li já se pode pensar dias de estada e passeios
    Valeu! ~)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Neia! aproveitem que Praga é demais! A minha preferida da Europa até agora! rsss
      Bjo
      Candice

      Excluir

se quiser mais informações, por favor mande um email para
vidaeumaviagem@gmail.com
obrigada