30/05/2013

Bali e suas aventuras no mar - para observar golfinhos e fazer mergulhos inesquecíveis

Depois de detalhar a península de Bukit e a região central de Bali (com destaque para Ubud) seguimos nossa viagem de carro explorando o norte onde o turismo vai se tornando cada vez mais escasso e onde a ilha pulsa forte na sua essência.



Lovina Beach


Saindo de Bedugul, no centro de Bali (mais exatamente de Jatiluwih, o maior terraço de arroz da ilha) seguimos por 53 quilômetros pela estrada norte (sentido Singaraja) até chegarmos em Lovina, uma praia aberta que abriga uma série de aldeias costeiras pelos seus cinco quilômetros de extensão à oeste de Singaraja, principal cidade do norte.


No meio da viagem pegamos uma chuva torrencial de quase meia hora o que é muito comum em janeiro e fevereiro, mas para nossa sorte o céu abriu quando chegamos na praia no final do dia.

Em Lovina, uma das minhas primeiras observações foi a cor cinza dos templos, diferente de tudo que já tinha visto na ilha. O efeito dos raios do sol trazendo a silhueta de cada detalhe do templo esculpido pelas mãos desse povo tão devoto é de pura admiração.


Conversando com uma garota na praia que estava ali tentando vender umas pulseirinhas (para os pouquíssimos turistas que por ali passeavam) perguntei se ele sabia que material era usado para construir o templo que estava ali na nossa frente. Ela simplesmente se abaixou, encheu a mão da areia vulcânica preta da praia e sorriu para mim.




Lovina é uma vila de pescadores com uma atmosfera bem preguiçosa, com (talvez) umas duas dezenas de lojinhas, uns poucos hotéis e restaurantes e uns três barzinhos que oferecem música ao vivo e que provavelmente faz reunir os turistas de plantão na pacata Lovina beach. 

centro de Lovina

Próximo da praia principal do vilarejo alguns anúncios te convidam para o principal passeio turístico da região: garantir um lugar nos barcos dos locais que saem no nascer do sol para ver os golfinhos em seu habitat natural.

Eu infelizmente não fiz o passeio, mas já li relatos bem bacanas como esse aqui da Adriane Setti, do ViajeAqui.

Como a praia estava praticamente vazia nos hospedamos no simpático hotel Nirvana Seaside Cottages, localizado na rua principal, no meio do burburinho da vila. Pagamos 30 dólares a diária com café da manhã incluso. Aqui tudo é mais barato que no sul da ilha.

Tulamben e Amed 


No dia seguinte depois do café da manhã com vista para a tentadora piscina do hotel (onde não resistimos e ficamos curtindo aquela água fresquinha e brincando com a nossa Gopro) seguimos por uns 80 quilômetros pela estrada costeira 3 (sentido leste) em direção a Amed, no lado nordeste da ilha. 

Pelo caminho, parando em uma padaria em busca de algo para beber dava para sentir melhor a vida local. Depois de passar por Singaraja, a cidade cultural do norte de Bali, seguimos por pequenas aldeias, como Kututambahan, Tejakula e Kubu. Tudo bem simples e com uma personalidade única.

Pela estrada vários símbolos nos deixava curiosos "o que significava na frente de quase todas as casas aquelas varas de bambú super decoradas que chegavam até envergar de tão altas"?

São os penjors que representam o Monte Agung, o lugar mais alto da ilha. Para os balineses, quanto mais próximo do céu, mais próximo dos Deuses. Quando os penjors estão aos montes espalhados pela ilha indica que a ilha está em seu momento mais feliz.


Esse período de dez dias chama-se Galugan no calendário hinduísta. Nessa época os balineses enfeitam suas casas para receber seus antepassados que (na crença deles) voltam para a casa para participar das festividades comemorando juntos a vitória do bem (Dharma) sobre o mal (Adharma).
O décimo dia marca o retorno deles para o outro mundo. É uma época de festa na ilha.

Bali é um mergulho apaixonante pela cultural hinduísta e pode ser também um mergulho (propriamente dito) no mar calmo entre os vilarejos de Tulamben e Amed.

A vida espetacular em Tulamben se encontra dentro do mar. Conhecido como o principal destino para os mergulhadores que exploram a ilha, dá pra dizer que Tulamben está para os mergulhadores assim como Uluwatu está para os surfistas.

Os três locais famosos para mergulhar na região tem acesso fácil pela praia. O primeiro e mais procurado fica na praia de Tulamben onde existe o Liberty, um navio de cargo norte americano naufragado (foi bombardeado pelos japoneses na segunda guerra mundial) onde os corais cobrem completamente o navio trazendo uma vida aquática riquíssima para o local.

Existem ainda mais dois lugares para mergulhar na região: o Coral Garden com corais de todos os tipos e ainda o Drop-Off, uma parede de corais com quase 40 metros de profundidade cheio de seres inusitados.

Pela beira da estrada (entre os vilarejos) as escolas de mergulho anunciam seus melhores passeios pela costa nordeste. As mais renomadas por lá são: Tulamben Wreck Dives, a Matahari ( que tem lugar para dormir também) e a Liberty Dive Resort. Todas tem certificado de excelência do Tripadvisor pela ótima qualidade no serviço.

A média de preços dos mergulhos em Bali gira em torno de 30 a 40 dólares. Se você fizer os pacotões, que significa juntar hospedagem, alimentação e mergulhos o preço fica ainda melhor. No site das escolas tem informações mais detalhadas sobre as promoções. Boa sorte.

foto tirada com o GoPro

Tirando a aventura de mergulhar nas profundezas do mar balinês, nada resta a fazer nessa região a não ser descansar, ler um livro na beira da piscina ou ficar observando a vida dos gigantes caracóis (ou escargots) que vivem por ali no jardim do hotel.


Em Amed dormimos no Tradisi Beach Inn por 45 dólares a diária com café da manhã. O hotel se resume a um pedaço de terra na frente do mar, com sete chalés bonitos e equipados em torno de uma piscina bem cuidada e um restaurante ao lado. A equipe de funcionários era muito atenciosa, simpática e faziam de tudo para nos agradar. Super recomendo.




No próximo capítulo - venha conhecer a badalada Seminyak!

Vamos aos clássicos:

  


Bali - venha para um mundo de glamour e badalação
















4 comentários:

  1. olá.. tenho 21 anos e vou pra Bali com uma amiga no final de dezembro.. ficar 8/9 dias.. achei bem interessante seu blog, tirei algumas ideias e decidimos mais ou menos que queremos visicar kuta, ubud, uluwatu, pandang pandang beach e trawangan (gili island)... pensei em ficar hospedada em Kuta, pelo que percebi é mais no "meio" e badalado... vc acha "tranquilo" ficarmos hospedadas apenas em Kuta e alugar uma moto para irmos visitando os outros lugares? por exemplo ir pra uluwatu passar um dia, ir pra ubud passar um dia... talvez eu não tenha muita noção do quão caotico é o transito, mas é viável? digamos que somos bem aventureiras haha e outra duvida.. esse single fin abriu normalmente? pensei que pudesse ficar fechado na temporada de ferias.. vamos passar o ano novo em Bali, vc tem alguma sugestão de lugar? gostariamos de um lugar com pessoas bonitas, uma vista incrivel, algo assim... adorei os posts de Bali, li todos e anotei muitas dicas interessantes. Obrigada. Angelina.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oi Angelina, tudo bem querida? Puxa, se vocês gostam de lugar badalado, pessoas bonitas, fiquem em Seminyak, não em Kuta. Olha, até dá para ir de Seminyak até Uluwatu, no extremo sul da ilha, leva o dia todo, é uma aventura o trânsito, mas se vocês tem espírito aventureiro, irão gostar! Ubus já acho meio longe sabe...mas o dia em Ubud pode ser feito com um motorista mesmo ou vans que te levam até lá. O que acontece é que o trânsito em Bali é uma loucura! A ilha é gigante! Pra falar a verdade eu acho muito pouco tempo pra conhecer tudo o que vocês planejam...mas enfim, posso dar uma sugestão? em 8 noites faria: 3 dias em Seminyak ( pra conhecer o sul, como Uluwatu, Padang Padang ) depois 2 noites em Ubud ( o lugar mais lindo de Bali e digo e repito vale a pena dormir por lá ) e o restante em Gili. Se precisar de um planejamento me avise ok?! Boa sorte!

      Excluir
  2. Muito triste ver qu incentiva a ficar nun resort cm golfinhos. Estive Em bali, conheci a historia dos golfinhos. Ha um hotel tambem Em keramas cm 4 golfinhos numa piscina.enche! Sabe a verdade? Vocês n se importam cm a vida animal? Tao morrendo os golfinhos, de tristeza e problemas na pele e cegueira pois o cloro na água é demais. Não são tratados como devem e o espaço é mínimo.

    Por favor não apele a esse crime.

    Tudo que li ta maravilhoso mas isto me deixou muito triste. Veja:
    http://youtu.be/W4GiUDEo-mo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Filipa, tudo bem? você tem toda a razão quando escreve isso! EU não gosto de ver animais trancafiados em piscina. Retirei do texto a parte do resort e obrigada por me alertar sobre esse "deslize" que nem tinha me dado conta. Como você pode ver, inclusive eu escrevo e apoio o passeio para ir assistí-los no seu habitat natural. Sou uma amante dos animais. Tenho uma alma de muita compaixão pelos nossos amigos. Contribuo para o equilibrio do planeta com muita alegria, não colaborando com nenhum tipo de matança. Obrigada querida pela seu email.

      Excluir

se quiser mais informações, por favor mande um email para
vidaeumaviagem@gmail.com
obrigada